DESINSETIZAÇÃO

Blatella germanica

Nome comum:
Barata alemã ou barata francesinha.

Biologia:

É a barata campeã de proliferação e frequentadora das melhores cozinhas, hotéis e mesas em todo o mundo. Podem ser diferenciadas das demais baratas pelo seu tamanho pequeno (1,5 a 3cm de comprimento) e por possuir 2 faixas longitudinais mais escuras no escudo protetor da cabeça (o “pronoto”). As fêmeas geram de 4 a 8 ootecas e dentro de cada uma delas existem de 30 a 48 novas baratinhas. Vivem em média de 8 a 12 meses.

Do que se alimentam:

Apresentam uma especial preferência por alimentos fermentados e resíduos de bebidas (principalmente cerveja e leite).

Onde vivem:

Possuem hábitos noturnos e costumam esconder-se em locais próximos à fonte de alimentos e à umidade, o que faz da cozinha seu lugar preferido. Gostam de descansar em locais quentes e escuros.

Periplaneta americana

Nome comum:
Barata de esgoto ou barata voadora.

Biologia:

É a maior barata entre as espécies domésticas, podendo chegar a 4 ou 5cm de comprimento. Tem como característica a cor marrom avermelhada, com um bordo amarelo vivo no escudo protetor da cabeça (o “pronoto”). A barata de esgoto deposita sua ooteca apenas um dia depois que foi formada e procura colocá-la sempre próxima a uma fonte de alimento. Cada uma dessas cápsulas contém entre 14 e 16 ovos que vão eclodir aproximadamente entre 50 e 55 dias. Vivem em média de 12 a 14 meses.

Do que se alimentam:

Alimentam-se de uma grande variedade de alimentos, mas têm preferência por matéria orgânica em decomposição. São atraídas por substâncias doces e pelo gosto amargo.

Onde vivem:

Procuram lugares quentes, escuros e úmidos para seus esconderijos. Porões são particularmente interessantes para essas baratas, bem como a rede de esgotos, caixas de gordura, fossas, ralos, armários de cozinha, embaixo das pias. Frequentemente, podem ser encontradas fora das residências, em locais sempre próximos à água ou bastante úmidos.

 

Tytius serrulatus ou escorpião amarelo

Nome comum:
Escorpião amarelo.

Biologia:

Possui hábito noturno, sendo uma espécie típica do Sudeste do Brasil. Com cerca de 6cm de comprimento, apresenta coloração amarelada especialmente nas patas. Devido aos hábitos domiciliares e à periculosidade da picada, é o mais temido dos escorpiões, sendo responsável pela maioria dos incidentes com animais peçonhentos em região urbana. Essa espécie possui uma característica rara entre os escorpiões, é partenogenética ou seja, só existem fêmeas, que têm a capacidade de se reproduzir sem a necessidade de fecundação.

Do que se alimentam:

Alimentam-se principalmente de baratas, aranhas e outros insetos, portanto, um ambiente livre destes dificulta a sua presença. O canibalismo é comum, as fêmeas podem comer até mesmo seus filhotes.

Onde vivem:

Vivem escondidos em locais quentes e com pouca luminosidade. Em ambiente urbano, para onde vão em busca de alimento (principalmente as baratas), eles podem viver sob pedras e troncos, em madeiras, entulhos, em terrenos abandonados ou mal cuidados, em restos de construção, em pilhas de tijolos, telhas, ralos e caixas de passagem.

Tytius bahiensis ou escorpião marrom ou preto

Nome comum:
Escorpião marrom ou preto.

Biologia:

Apresenta em média 7cm de comprimento e possui hábitos noturnos. Essa espécie é responsável, no Brasil, pelo maior número de casos de acidentes escorpiônicos em áreas rurais. Tem coloração marrom avermelhada escura e braços e pernas mais claros, com manchas escuras. Não possui serrinha na cauda. Machos de escorpião-marrom possuem palpos mais volumosos que os das fêmeas.

Do que se alimentam:

São carnívoros, alimentam-se principalmente de insetos, como borboletas, formigas, baratas e aranhas. Canibalismo é comum, principalmente nas fêmeas, que podem comer seus parceiros após a cópula ou até mesmo seus filhotes.

Onde vivem:

Essa espécie está adaptada a campos, cerrados e matas ralas. Abriga-se principalmente sob pedras e cupinzeiros

Atta spp.

Nome comum:
Formiga saúva.

Biologia:

É uma formiga cortadeira, que corta pedaços de material vegetal (folhas e flores). Tem a cor avermelhada e tamanho aproximado de 1,5 a 24mm. As formigas operárias vivem em média de 2 a 6 meses e as rainhas, 20 anos.

Do que se alimentam:

Coleta vegetais para a produção de um fungo que lhe serve de alimento.

Onde vivem:

Vivem em gramados, canteiros, calçadas, praças e jardins.

Camponotus spp.

Nome comum:
Formiga carpinteira, formiga doceira ou sarássará.

Biologia:

As operárias maiores podem ser bastante grandes e são chamadas de soldados. Estas podem medir até 17mm de comprimento e as menores, 3mm. As espécies variam em coloração, sendo encontradas do amarelo claro ao preto. Possuem somente um nó na cintura e um círculo de pêlos na abertura anal.

Do que se alimentam:

Normalmente atacam madeiras que foram afetadas por fungos, ou madeiras mortas de árvores, apesar de não comerem a madeira. Dentro da casa, normalmente se alimentam de doces, ovos, carnes, bolos, etc. As operárias percorrem distâncias que atingem até 90m do ninho em busca de alimentos, sendo que podem penetrar por portas, janelas, vasos, etc.

Onde vivem:

Constroem seus ninhos em cupinzeiros, em madeira morta e úmida ou formam montes de terra na entrada de seus ninhos.

Amblyomma cajennense

Nome comum:
Carrapato-de-cavalo ou carrapato estrela.

Biologia:

É o que mais comumente parasita o homem. Também infesta aves, mamíferos domésticos e silvestres. Fica grande, do tamanho de um feijão verde ou até maior. A sua forma larval, o micuim, está nos pastos, normalmente, no período de março a julho. Este tipo de micuim, que pode ficar até 24 meses sem se alimentar, esperando um hospedeiro, no homem causa terrível coceira e inflamação que pode durar mais de um mês. A espécie é comum no Brasil e é um vetor de diversas doenças como a Babesiose eqüina e a Febre Maculosa, sendo está última considerada uma zoonose. Tem o comprimento de 0,03 cm a 2 cm. Antes de se alimentar são achatados, porém após a alimentação ficam esféricos.

Do que se alimentam:

Alimentam-se de sangue animal, podendo até estourar após sugar grades quantidades.

Onde vivem:

Vivem em diversos locais como, por exemplo, mato, madeiras, plantas e na pele de animais.

Rhipicephalus sanguineus ou carrapato-vermelho-do-cão

Nome comum:
Carrapato-vermelho-do-cão.

Biologia:

Típico de cães e gatos. Os adultos preferem instalar-se na pele, entre o coxim plantar e as orelhas do cão. Ao sair do hospedeiro ele procura lugares altos, de preferência lugares perto do ambiente onde os hospedeiros ficam e dormem. Sobem pelas cercas, muros, e espalham-se pelo canil, casa, etc.

Do que se alimentam:

Alimentam-se de sangue animal. Os locais preferidos dos carrapatos para se alimentar no cão são as orelhas e as patas, entre os dedos, embora circulem e se alimentem por todo o corpo.

Onde vivem:

Seus esconderijos preferidos são locais úmidos e sem incidência direta do sol como embaixo de plantas ou frestas de muros. Necessita somente de plantas, umidade, sombra e um hospedeiro (normalmente, um cão ou gato) que passe por lá para sobreviver no ambiente.